A interface de visualização, por sua vez, permite a visualização simples e imediata de inúmeras informações derivadas dos dados armazenados, tais como estatísticas de duração das manobras, ocupação dos berços, volume de carga carregada ou descarregada por atracação, divergências dos parâmetros operacionais em relação aos regulamentos vigentes no porto, e muito mais.

As informações das embarcações podem, por exemplo, ser correlacionadas com dados meteorológicos, facilitando o entendimento de como as variações climáticas de um local afetam a navegação e a operação portuária.

Como a base de dados é construída?

A partir de dados transmitidos pelas embarcações por meio do sistema AIS (Automatic Identification System) ou adquiridos diretamente pelos sistemas de monitoramento de um serviço VTS (Vessel Traffic Service), o LPS constrói uma base de dados que cresce com o tempo, na qual são armazenados parâmetros como trajetória e velocidade da navegação, calado do navio, tipo de carga transportada, entre outros. 

#.01 Como a base de dados é construída?

#.02 como se dá a interface

Dados da movimentação retroportuária também podem ser incluídos no sistema e correlacionados com as demais informações, permitindo uma análise aprofundada da eficiência operacional.